Volver a Vieiros

Na bruma

Enviado por Vermelhom o día 09.03.2008

A beira do rio, o carom do amieiro, parte da sua infanza seguia naquel recuncho, o tempo aferabase ás entranhas da terra. Lembraba os aromas, cores, ruidos que num tempo eli atopara numha explosiom de sentidos. Um escalofrio percoria o seu corpo baixo a saraiba, os cabelos dela pareciam trenzarse nos seus dedos. A calor do corpo dela, era insoportable. Duas gotas perdiamse polo seu peito abaixo, provocando umha tension estenuante. De supeto a bruma debuxou umha silueta, as suas curvas ibam xirando oredor del, provocando a perda de control do seu corpo. De supeto esvaeceuse todo na bruma.

1.5/5 (10 votos)

bases ferve a rede


premios ferve a rede