Vieiros

Vieiros de meu Perfil


Edición xeral

RSS de Edición xeral
Ponte nas Ondas!

Uxía, Jõao Afonso e Luis Pastor, en homenaxe ao Zeca Afonso

Velaí unha nova achega especial Na Rede do Patrimonio, desta volta coincidindo cos 25 anos do pasamento do Zeca, quen tantas pontes tendeu entre Galiza e Portugal.

Redacción - 18:00 01/06/2007


Uxía, Jõao Afonso e Luis Pastor, en homenaxe ao Zeca Afonso




Canta Sérgio Godinho
"...escolhe bem amores, enche-te de cores pinta tudo o que em ti é possível". Sérgio Godinho envía un saúdo a Galiza e canta "É a vida o que é que se há-de fazer? Viver!"





Canta a señora Carme




A Ponte que está nas ondas poderase mergullar

Na rede do Patrimonio tamén podes navegar
A ponte non é de ferro, tampouco é de cemento
é unha nova plataforma pra vencer o illamento



O Rap do Patrimonio
Un agasallo: un rap cantado por Xiana Lado, alumna de 3º da ESO no IES Terra de Turonio, en Gondomar.





"A ponte é até onde vai o meu pensamento"
Gocen deste tema acústico gravado por Lenine. Ao final poden escoitar tamén o seu saúdo para os "amigos da Galiza": "Un abrazo pra todas as persoas que constrúen as pontes deste mundo".


Canta Lenine



A Ponte (Lenine)
Como é que faz pra lavar a roupa?
Vai na fonte, vai na fonte
Como é que faz pra lavar a roupa?
Vai na fonte, vai na fonte
Como é que faz pra raiar o dia?
No horizonte, no horizonte

Este lugar é uma maravilha
Mas como é que faz pra sair da ilha?
Pela ponte, pela ponte

A ponte não é de concreto, não é de ferro
Não é de cimento

A ponte é até onde vai o meu pensamento
A ponte não é para ir nem pra voltar
A ponte é somente pra atravessar
Caminhar sobre as águas desse momento

A ponte nem tem que sair do lugar
Aponte pra onde quiser
A ponte é o abraço do braço do mar

Com a mão da maré
A ponte não é para ir nem pra voltar
A ponte é somente pra atravessar
Caminhar sobre as águas desse momento

Nagô, nagô, na Golden Gate
Entreguei-te
Meu peito jorrando meu leite
Mas no retrato-postal fiz um bilhete
No primeiro avião mandei-te
Coração dilacerado
De lá pra cá sem pernoite
De passaporte rasgado
Sem ter nada que me ajeite
Coqueiros varam varandas no Empire State
Aceite
Minha canção hemisférica
A minha voz na voz da América
Cantei-te
Amei-te

Máis na web de Lenine


É A Vida - O Que É Que Se Há-De Fazer? (Sérgio Godinho)
Há-de ser mais claro
tudo um dia, vais ver
tudo nos lugares
que tu separares
entre
o tanto que há pra viver

Por agora é tudo
confusão, tempestade
grita no mar alto
dança no asfalto
cruza
os dias da tua idade

É a vida
o que é que se há-de fazer?
é a vida
o que é que se há-de fazer
Viver!

A noite agora acaba
a lua segue p´ro sol
faz uma directa
corre que nem seta
rumo
ao branco do teu lençol

Olha-te ao espelho
triste-alegre estarás
na boca um sorriso
nos olhos granizo
do amor
hoje deixado p´ra trás


É a vida
o que é que se há-de fazer?
Viver!


Mais tarde verás
o que hás-de ser nesta vida
doutor de aventuras
médico de curas
actor
duma comédia sentida


Sejas o que sejas
hás-de ser invencível
escolhe bem amores
enche-te de cores
pinta

tudo o que em ti é possível


É a vida
o que é que se há-de fazer?
Viver!


Na web de Sergio Godinho


4.17/5 (6 votos)


Sen comentarios

Novo comentario

É preciso que te rexistres para poder participar en Vieiros. Desde a páxina de entrada podes crear o teu Vieiros.

Se xa tes o teu nome en Vieiros, podes acceder dende aquí: